IDADE MODERNA!

Capa do livro História dos Mártires
Capa do livro História dos Mártires

MÁRTIRES

 

Em toda a Idade Média, e moderna, pessoas que queriam ter acesso as Escrituras Sagradas eram reprimidas pela Igreja Católica, acusados de heresia e outros crimes e então mortos, geralmente queimados junto com a Bíblia em praças públicas. Mas não eram só os que queriam ter uma Bíblia, mas sim todos os que iam contra os ensinamentos da Igreja que eram mortos.

Em 1546, 14 homens na de Meaux, na França foram declarados culpados de heresia, acusados de orar e cantar salmos, e celebrar a Ceia do Senhor.

No dia em que iam ser executados, o professor católico François Picard perguntou aos condenados sobre o que achavam da Ceia do Senhor. Os condenados responderam e questionaram Picard sobre a transsubstânciação ( o pão e o vinho se transformam literalmente na carne e sangue de Jesus ). Picard não soube responder as perguntas feitas e disse que os condenado iriam sofrer para sempre no Inferno de fogo.

Assim como esses, surgiram vários Mártires durante a história. Mártir é aquela pessoa que sofreu torturas e morte por causa de sua fé.

Uma importante fonte de pesquisa sobre essas pessoas que morreram por causa de sua fé são os livros História dos Mártires de Jean Crespin e O Livro dos Mártirs de John Fox.

Neste artigo iremos falar sobre Jean Crespin e seu livro: História dos Mártires

Este livro foi escrito por Jean Crespin, públicado em Genebra na Suíça, no ano de 1554.

Jean Crespin nasceu perto de 1520, em Arras, uma cidade no norte da França, e estudou direito em Louvain na Bélgica, provavelmente tendo seu primeiro contato com os reformistas. Em 1541, foi para paris trabalhar como secretário de um jurista famoso.

Foi nessa época que viu Claude Le Painctre, morto na praça Maubert. Claude foi condenado pelo de anunciar a verdade a outras pessoas.

Crespin começou a trabalhar na área jurídica em Arras, sua cidade natal. E tempo depois foi acusado de heresia. Foi para Estrasburgo, também na França e depois foi para Genebra, onde se tornou impressor e publicou as obras de Calvino, Lutero, João Knox e Teodoro de Beza. Imprimiu o novo testamento para o espanhol, francês, inglês, italiano e latim. Mas o que o deixou famoso foi seu livro História dos Mártires.

As obras publicadas pelo reformistas falavam contra a crueldade das autoridades católicas. As pessoas eram encorajadas pois essas obras afirmavam que os mártires cristãos eram uma continuação do que os cristãos do primeiro século EC passaram. Crespin fez uma lista dos que morreram pela sua fé.

História dos Mártires traz registros de julgamentos, processos de inquisição e relatos de testemunhas, e depoimentos escritos por acusados em quanto estavam presos. Possui animadoras cartas para os presos, muitas com partes da Bíblia.

 

A História dos Mártires comprova os acontecimentos créis e inumanos que marcaram aquela terrível época da história humana, na qual muitos tentaram chegar a verdade, mas muitas vezes forma impedidos por serem mortos e presos. Crespin, Fox, Lutero e outros são alguns exemplos de pessoas que conseguiram lutar conta a Igrja Católica e se manterem vivos.

Tio Sam é a personificação nacional dos Estados Unidos da América e um dos símbolos nacionais mais famosos do mundo.
Tio Sam é a personificação nacional dos Estados Unidos da América e um dos símbolos nacionais mais famosos do mundo.

CAPITALISMO

A partir do século XV, o capitalismo - investir e comercializar visando o lucro – tornou-se fator chave, na Europa, da economia, política, cultura e guerras. Criação de impérios fora das fronteiras e de centros comerciais para financiá-los fomentou a nova onda de comércio global.

Os lucros que os europeus recebiam do novo mundo eram altos, mas perigosos, pois os navios enfrentavam tempestades, chocavam-se com recifes e eram roubados por piratas.

Eram feitos altos investimentos em navios, equipamentos, armas, etc. Para isso precisava-se de dinheiro, que era muitas vezes emprestado em altas quantias, você emprestava o dinheiro, o investia em algo(que no futuro o daria lucro), devolvia a quantia emprestada e para se obter o lucro demorava muito, até mesmo anos.

Agentes especializados(corretores) arranjavam negócios entre compradores e vendedores de ações e participações, em troca de certa comissão(receber parte do lucro ganho).

No início do século XVI, na Antuérpia, surgiu a Bolsa de Valores. Criada e regulamentada como mercado para compra e venda de ações e participações em empresas comerciais.

      POR ALX

John Locke
John Locke

LIBERALISMO

O liberalismo é a filosofia política que tem como fundamento a defesa da liberdade individual nos campos econômico, político, religioso e intelectual, da não-agressão, do direito de propriedade privada e da supremacia do indivíduo contra as ingerências e atitudes coercitivas do poder estatal.

O pensamento liberal teve sua origem no século XVII, através dos trabalhos sobre política publicados pelo filósofo inglês John Locke. Já no século XVIII, o liberalismo econômico ganhou força com as idéias defendidas pelo filósofo e economista escocês Adam Smith.

 Segue abaixo as características do liberalismo:

  • Defesa da propriedade privada;

  • Livre Mercado;

  • Governo limitado;

  • Igualdade perante a lei.

O liberalismo e o capitalismo estão presentes um no outro, até por que os únicos governos que dão o direito de liberdade de religião, de expressão, econômica, intelectual são capitalistas.

POR ALX

 

Almirante Pedro Álvares Cabral.
Almirante Pedro Álvares Cabral.

HISTÓRIA DO BRASIL

 

Em 1498, Dom Manuel I, rei de Portugal enviou Vasco da Gama para navegar pelo Oceano Atlântico com objetivo de descobrir um caminho marítimo até as Índias e fundar lá uma colônia portuguesa para facilitar o comércio com produtos orientais, entre os quais as especiarias, bem procuradas, como a noz moscada, a pimenta do reino, o cravo, a canela, etc. Mas o objetivo não foi concretizado pois lá já se encontravam os mouros.

Dom Manuel não desanimou, deixou passar dois anos e em 1500, organizou uma esquadra destinada às Índias, confiando esse comando ao Almirante Pedro Álvares Cabral.

 

As 10 caravelas e os 3 navios de transporte comandados por cabral em 1500 os desenhos são da época observe que a caravela de cabral é a 1ª na segunda fileira (1)
As 10 caravelas e os 3 navios de transporte comandados por cabral em 1500 os desenhos são da época observe que a caravela de cabral é a 1ª na segunda fileira (1)

A esquadra de Cabral era composta de 13 navios, sendo 10 caravelas e 30navios de transporte e partiram após grandes festividades, inclusive uma missa solene em 9 de março de 1500, tendo cerca de 1300 homens a bordo das embarcações.

Cabral comandou a esquadra toda e no comando das outras naus estavam: Simão de Tovar, Pedro de Ataíde, Bartolomeu Dias (o descobridor do Cabo das tormentas), Nuno Leitão, Nicolau Coelho (companheiro de Vasco da Gama na viagem às Índias), Simão de Miranda, Vasco de Ataíde, Luiz Pires, Aires da Silva, Simão de Pina e Gaspar Lemos.

(continuarei...)

POR JGP

 

 

Queda da Bastilha, que teve como momento crucial o dia 14 de julho de 1789. A Bastilha foi construída entre 1370 e 1383 e transformou-se em prisão no início do século XVII.
Queda da Bastilha, que teve como momento crucial o dia 14 de julho de 1789. A Bastilha foi construída entre 1370 e 1383 e transformou-se em prisão no início do século XVII.

REVOLUÇÃO FRANCESA

A Revolução Francesa não envolve somente o fato da revolta ocorrida para acabar com o poder absuluto do rei na França, envolve muito mais do que isso.

Podesse dizer que o primeiro passo para a revolução foi a formação da Assembléia Nacional, em 17 de junho de 1789.

Luís XVI demitiu Jacques Necker( ministro das finaças) em 11 de junho, e também concentrou as tropas nos arredores de Paris, causando agitação e busca por armas na capital francesa. Esses dias de distúrbio levaram a queda da Bastilha, em 14 de julho, causando muita violência.

A Revolta, como dizia Luíz XVI, se espalhou pelo país, causando o chamado Grande Medo, com camponeses atacando os propietários de terras e incendiando seus castelos.

Em 4 de agosto, a Assembléia Nacional votou pela abolição dos privilégios feudais, eliminando de uma só vez todo o sistema de propiedade.

O rei, para não ter de ficar próximo ao povo morava em Versalhes, tal como aconteceu quando mudaram a capital de nosso país( Brasil) para Brasília, mas em 5 de outubro mulheres de Paris revoltadas com a falta de alimento e a indecisão do rei   (maior qualidade dele), marcharam até Verslhes, para obrigá-lo a se mudar para Paris, onde poderia ser monitorado pelo povo.

Execução de Luís XVI em janeiro de 1793.
Execução de Luís XVI em janeiro de 1793.

Entre 1789 e 1791, a Assembléia Nacional aprovou reformas que que enfraqueceram ainda mais o antigo regime, como a publicação dos direitos humanos, reestruturação do exército, divisão da frança em 83 departamentos, venda de terras da igreja e obrigação dos clérigos a fazer juramento cívico ao estado. Essa última reforma irritou muito a igreja, dando origem a contarevolução.

A assembléia também dividiu o povo em dois: ativos(de alta renda e votantes) e passivos(não votantes).

Nessa época surgiram vários partidos na França, como os Cordeliers, Jacobinos e Girondinos, o Jacobino foi o primeiro partido político.

Em junho de 1791 o rei tentou fugir da França, mas foi capturado em Varennes, por um agente dos correios, isso foi o fim da confiança do povo no rei.

Em abril de 1792 a Assembléia declarou guerra a Áustria e a Prússia. Cinsecutivas derrotas causaram panico na capital francesa.

Em 20 de agosto de 1792 o rei foi deposto. A comuna revolucionária assumiu o controle e matou 1200 contrarevolucionários.

A terceira assembléia eleita em 20 de setembro, restaurou a confiança nacinal.

No dia seguinte foi declarada a República da França. Em 1793 o rei foi guilhotinado.

A França foi ameaçada de invasão e se militarizou muito mais.

Depois ouve rixa entre jacobinos e girondinos, os jacobinos subiram ao poder, acontece série de reviravoltas políticas que culminam na ascensão ao poder de Napoleão Bonaparte.

POR ALX      

Mona Lisa, de Leonardo da Vinci(entre os anos de 1503 e 1506)
Mona Lisa, de Leonardo da Vinci(entre os anos de 1503 e 1506)

O Nascimento da Europa

 

A europa de hoje é produto das transformações políticas, econômicas e culturais que ocorreram no final da idade média.

A crise que ocorreu no sistema feudal aumentou o poder dos reis. Os burgueses também foram favorecidos pela crise, pois a unificação dos territórios feudais facilitou o comércio. Surgiram novas monarquias, como por exemplo em Portugal, Espanha, Inglaterra, França. Junto com essas monarquias estava o mercantilismo(política econômica que tem por objetivo desenvolver o comércio).

Floresceu então na europa o Renascimento, que é uma renovação artística, intelectual e cintífica. A cultura greco-romana foi valorizada, e a arte passou a ter patrocínio dos nobres e papas.

Diferente da Idade Média, na qual o centro do universo era Deus(Teocentrismo), no Renascimento o centro do universo passou a ser o homem(Antropocentrismo).

O surgimento de universidades, maior número de alfabetizados, uma maior utilização da imprensa e desenvolvimento do comércio foram detalhes que ajudaram para a divulgação do humanismo pela Europa.

A partir dessas mudanças alguns dogmas da igreja começaram a ser questionados, e um dos religiosos que mais contestou a atitude da igreja foi Martinho Lutero, na Alemanha, e assim começa a reforma protestante(tema de um futuro artigo).

Por ALX

Moedas de Ouro
Moedas de Ouro

MERCANTILISMO

Entre o século XV e o final do século XVIII, a Europa passou por grandes transformações.

O Mercantilismo foi a transição do sistema feudal para o sistema capitalista.

Alguns fatos que marcaram o mercantilismo foram:

- Decadência das três potencias mundiais da época Portugal, Espanha e Países Baixos, sucedidos pela Grã-Bretanha;

- O Início das grandes navegações, inclusive a descoberta da América;

- As revoluções inglesas;

- A vinda de Europeus para a América, esses vieram pois na Europa eram chamados miseráveis pois eram pobres, formando colonias na América, assim nasceu a Nação dos Estados Unidos da América, relacionado a esse assunto temos os colonos e seus descendentes, de filmes de velho oeste que nós tanto gostamos.

Vejamos como era o sistema econômico mercantilista:

Metalismo:  Naquela época ouro e prata deixavam as nações ricas. As moedas de ouro eram trazidas para a nação por dois meios: comércio externo e exploração de territórios conquistados;

Industrialização: o governo estimulava o desenvolvimento de indústrias em seus territórios.

Protecionismo Alfandegário : os reis criavam impostos e taxas para evitar ao máximo a entrada de produtos vindos do exterior. Nessa época surgiram os piratas. Havia dois tipos de piratas naqule tempo, Os Corsários que eram legalizados pelo governo, para protegerem as embarcações da nação e atacarem as embarcações de nações inimigas, conseguindo assim mais riquezas para sua pátria. E os Piratas de verdade, que eram os bandidos da época, os piratas tradicionais, que só atacavam outras embarcações para furtar suas riquezas, com respeito a este tipo de piratas temos a conhecida quadriologia Piratas do Caribe.

- Pacto Colonial: as colonias européias deveriam fazer comércio apenas com sua metrópole*.

- Balança Comercial Favorável: o esforço era para exportar mais do que importar, para a nação ganhar mais e peder menos.

 As Nações ricas e com economias mais solidificadas impunham rígidas normas para defender seus interesses. O consumo interno era controlado por práticas protecionistas que também se empenhavam em desenvolver indústrias locais. Enquanto isso, a colonização se encarregava de explorar novos territórios para garantir o acesso a matérias-primas e um canal para o escoamento dos produtos gerados nas metrópoles. O Mercantilismo só seria contestado a partir da segunda metade do século XVIII e a principal ideologia econômica que o substituiria seria o Liberalismo.

*METRÓPOLE é a capital ou a principal cidade de uma Nação.

Por ALX

Declaração de independência do Estados Unidos da América.
Declaração de independência do Estados Unidos da América.

Formação dos Estados Unidos da América

 


Os imigrantes que foram para a América do Norte fugiam da Grã-Bretanha, devido as pressões que enfrentavam.

Os colonos(imigrantes) formaram na América do Norte as 13 colônias, que eram divididas em: Colônias do Sul, Norte e Centro. Veja abaixo quais cidades formavam essas colônias:

- Colônias do Sul: Carolina do Norte, Carolina do Sul, Geórgia, Maryland e Virgínia.

- Colônias do Norte: Connecticut, Rhode Island, New Hampshire e Massachusetts.

-Colônias Centro: Delaware, New York, New Jersey e Pensilvânia.

Essas colônia tinham uma economia manufaturada e comercial, e atendia tanto ao mercado interno quanto ao mercado externo.

As colônia do norte desenvolveram uma comércio triângular, que era conseguir melaço nas antilhas para fazer rum, trocar o rum por escravos, e vender esses escravos nas antilhas, então obtiam mais melaço.

A economia do sul era basicamente o comércio com a Ingalterra.

Até então as colonias e a Inglaterra não tinham intrigas entre si, mas no século XVIII, a Inglaterra e a França lutaram na guerra dos sete anos(1756-1763), apesar de sair vitoriosa a Inglaterra teve uma queda em sua economia, e para melhorar sua situação passou a oprimir os colonos.

Começou então uma série de leis, as quais os colonos não gostaram nem um pouco, entre essas leis podemos citar:

-Lei do açúcar(1764);

-Lei do selo(1765);

-Lei do chá(1773).

Com respeito a última lei, os colonos atacaram 3 navios ingleses que transportavam o chá, invasão que ficou conhecida como a festa do chá em Boston.

A Inglaterra nada feliz decretou o seguinte:

-Fechamento do porto de Boston;

-O exército ingles ocupa Massachusettes;

-Colonos rebeldes são julgados por ingleses.

Como resposta a essas leis, os representantes das colônias formaram o Primeiro Congresso Continental da Filadélfia, em que escreveram ao governo inglês os protestos contra as leis.

Como resposta o governo inglês ordenou que fosse destruído um depósito de armas dos colonos, o que os colonos não gostaram muito, então teve início a batalha de Lexington(1775). Essa foi apenas a primeira das batalhas pela indenpedencia do povo Norte-Americano.

Então foi organizado o Segundo Congresso Continental da Filadélfia, que nomeou George Washington como comandante das tropas Norte-Americanas.

Por fim em 4 de Julho de 1776 estava pronta a Declaração de Independencia Norte-Americana, que teve como principai autor Thomas Jefferson, que se declararam livres dos ingleses.

Houve uma guerra entre os Norte-Americanos e os ingleses, que durou cerca de 6 anos, que teve como vencedores os Norte-Americanos, que obtiveram a ajuda de França, Espanha e Holanda.

Os Estados Unidos eram agora uma nação livre.

Por ALX

 

 

 

 

 

 


Francis Bacon
Francis Bacon

ILUMINISMO

 

O Iluminismo foi uma nova forma de pensar a respeito dos governos, da religião e da ciência, surgiu na Idade Moderna, levava muito em conta a diferença entre Fé e Razão.

Iluminismo vem de iluminar, trazer luz, e naquela época, Idade Moderna , pensadores como René Descartes(Livro O Discurso do Método), Francis Bacon, Charles de Secondat(Conde de Montesquieu), trouxeram luz para o povo, por faze-los pensar sobre os danos que o Absulutismo causava a eles, o Iluminismo teve muita importância nas revoluções que ocorreram na época, como por exemplo a Revolução Francesa.

O Rei era por assim dizer o Estado, e a Igreja era por assim dizer o Governo, o centro de administração do Estado. O Rei dava as ordens, mas quem fazia com que o Rei desse as ordens era a Igreja e o Iluminismo iria combater isso.

O Conde de Montesquieu, foi o fundador dos três poderes que conhecemos hoje, são eles:

- Legislativo(criar leis);

- Executivo(executar as leis);

- Jurídico(fazer com que as pessoas cumpram a lei e julgar os que não a cumprem).

O Iluminismo leva em conta a Razão, ou seja, a ciência, e não a Fé (Religião, Bíblia, Deus). Para os Iluministas tudo se explica na ciência.

Antes do pensamento iluminista surgir não havia democracia, com as revoluções governos caíram, dando o poder a outros novos governos eleitos pelo povo(exceto alguns ditadores).

Por ALX

 

 

 

 

Roda dos Expostos ou Enjeitados.
Roda dos Expostos ou Enjeitados.

RODA DOS EXPOSTOS, O ABANDONO DE CRIANÇAS

Antigamente(idade moderna, início da contemporânea), as mães que não queriam seus filhos por algum motivo(pobreza, adultério), abandonavam a criança num local chamado Roda dos Expostos ou dos Enjeitados. Esses locais ficavam próximos de igrejas ou Hospitais.

A Roda dos Expostos era por assim dizer um tambor com um mecanismo giratório, embutido numa parede, a mãe chegava ao local colocava a criança dentro do tambor, então tovava um sino para avisar a chegada da criança e então ela saía rápidamente para não ser vista.

 

No Brasil a primeira Roda dos Expostos, localizada na Santa Casa da Misericórdia, Bahia, é datada de 1734.

Santa Casa da Misericórdia, Bahia.
Santa Casa da Misericórdia, Bahia.

Esses locais tinham higiene precária e muitas crianças faleceram.

POR ALX